SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Asas


Asas para quem sabe voar!

Em tempos de crise, crie!








A NATUREZA ABSOLUTA NAS ESCULTURAS DE ALBERTO GIACOMETTI


"Alberto não se preocupava com o quadro como uma obra isolada, objetiva, a ser apreciada como tal. Isso só interessava a mim. Ele só olhava o quadro como um subproduto, por assim dizer, de sua luta sem fim para retratar não simplesmente um indivíduo, mas a realidade."

James Lord



A arte do suíço Alberto Giacometti pode ser analisada em diversas frentes. Todas profícuas e fomentadoras de discussões. Do cubismo – ambiente este contemporâneo ao seu próprio nascimento – na comunidade de Stampa em 1901 – Ao primitivismo. Este discutido e praticado por inúmeros artistas ao redor do mundo. Desde conceitos primitivistas debatidos nos séculos anteriores à própria noção de africanismo e retorno às artes mais genuínas na outra ponta. Após o estudo na faculdade de Belas artes de Genebra - o filho do pintor pós-impressionista Giovanni Giacometti - começa as viagens que o levaria à estruturação de sua identidade.



Na Itália, no início dos anos 20, o contato com a obra ímpar do veneziano Jacopo Robusti (Tintoretto) – apenas para ficar nestes – e intensas viagens pelo país vão moldando o olhar de Giacometti pela renascença. Posteriormente a estas experiências - o jovem pintor e escultor suíço - desembarca em Paris, mais precisamente no bairro de Montparnasse para estudar na fantástica escola de arte La Grande Chaumière sob os cuidados do mestre francês Émile-Antoine Bourdelle.

‘La Grande Chaumière’ foi um importantíssimo polo de jovens artistas – de vários países – no início do século XX. Fundado pela suíça Martha Stettler, teve em Antoine Bourdelle um dos seus mais nobres lecionadores. Este, um dos expoentes da chamada Belle Époque e um dos maiores pintores francesas da primeira metade daquele século. Ensinou na lendária academia de artes francesa até 1929.


Ainda na França, os anos 20 foram de profusão para a criação e as revoluções estéticas impregnadas naquele século. André Breton já havia publicado o manifesto surrealista (1924) e Alberto Giacometti começaria a ter contato com a atmosfera efervescente daqueles anos e os pensamentos oníricos de gente como Max Ernst e Joan Miro. Além do contato com o icônico Pablo Picasso.


"EU, VOCÊ, A SOCIEDADE, E A MEXERICA DESCASCADA" por Carlos Mion




Não querem descascar a mexerica, não querem ser contrariados, não querem sair de casa, não querem conversar, não querem perder, não querem ouvir um NÃO, não querem ficar sozinhos, não querem sofrer, não querem ficar tristes, não querem resolver problemas, não querem ler textos com mais de 3 linhas, não querem entender opiniões contrárias, não querem nada com nada. Só querem atenção, só querem ser especiais.

Marcela reclamava do tempo que tinha que esperar no sinal vermelho. Havia acabado de completar seus 18 anos, e ganhara um carro do pai de presente. Aqueles 50 segundos que ficava parada em frente ao semáforo era algo totalmente atormentador para ela.

O Paulo detestava ler qualquer texto na internet com mais de 3 linhas. Não queria perder tempo com textos longos. Inclusive parou de ler esse texto quando falei acima da Marcela.

O Gustavo não gostava de sofrer, e por isso mesmo excluía qualquer um da sua vida (e do Facebook também), ao primeiro sinal de desagrado. Queria evitar a fadiga.

A Júlia esperou 5 minutos a mais pela entrega da pizza em sua casa. O folheto da pizzaria dizia que o pedido chegava em no máximo 30 minutos. Chegou em 35. Ironizou o motoboy: "Cortou caminho, foi?"

A Gabriela não sabia ouvir um “não”. Ou era do jeito dela, ou fazia um escândalo. Sua frase lema era: “Eu nasci assim, eu cresci assim, eu fui sempre assim...”.

O Michael achava que estava sempre certo. Não via qualquer problema em ensinar outras pessoas a forma correta de se fazer as coisas, que era a forma dele é claro. Dizia ele: “Eita povo burro!”

O Guilherme era trollador. Seu nick nos fóruns de games era: “Troll Master”. Passava o dia inteiro ofendendo qualquer um. Tudo pela zoeira. Dizia que bullying era coisa de gente fresca que não sabe brincar.

A Isabella amava chamar atenção. Gravou um pornozinho com o namorado e mandou para um grupo de amigos do Whatsapp. Na pressa em compartilhar a proeza, mandou para o grupo errado. Depois disse que foi o namorado quem gravou sem a permissão dela. Só não soube explicar porque ela estava segurando o celular.

A Fernanda comprou mexerica descascada. Uma bandeja com 16 gomos cuidadosamente posicionados e embalados. Um pouco mais caro que o normal. Reclamou que veio com semente.

A geração dos que já nascem especiais (é o que acham) está aí, pronta para pagar o preço que for para não perder tempo, para chamar atenção, para ter o direito de ser preguiçosa, para continuar sendo especial.

E você? Vai pagar o preço?



© obvious

Pensamento para o dia


Um ramo surgirá do tronco de Jessé, e das suas raízes brotará um renovo.
O Espírito do Senhor repousará sobre ele, o Espírito que dá sabedoria e entendimento, o Espírito que traz conselho e poder, o Espírito que dá conhecimento e temor do Senhor.
E ele se inspirará no temor do Senhor. 
Não julgará pela aparência,
 nem decidirá com base no que ouviu;
mas com retidão julgará os necessitados,
 com justiça tomará decisões em favor dos pobres.
Isaías 11:1-4

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Difícil é deixar de sentir!


"O dom de viver sem aplauso e sem plateia" por Martha Medeiros



"Cada um de nós mereceria ao menos uma reportagem
para homenagear nossos dons mais secretos,
aqueles que acontecem bem longe dos holofotes.
O dom de viver sem aplauso e sem plateia.
O glorioso e secreto dom de vencer os dias."

A Casa Rosa de Nando Reis em São Paulo



O lar escolhido por Nando Reis, no bairro paulistano do Pacaembu, só foi arrematado depois que o designer, arquiteto e amigo Paulo Alves visitou o local e aprovou. "Conheci o Paulo quando ele ainda era da Marcenaria Baraúna e fez as peças que a gente precisava para mobiliar nossa casa. (...) Era algo materializante do que a gente realmente queria. Depois, quando comprei uma morada nova e precisei de alguém para fazer a reforma, lembrei do jeito com que ele havia transformado minhas intenções em objetos concretos", conta Nando no livro sobre a obra de Paulo, lançado em 2015 pela editora Olhares.


Durante os dois anos da obra, a propriedade dos anos 1940 foi completamente modificada para atender às necessidades nada tradicionais do dono. Apesar de servir o cantor solteiro, ela deveria receber bem os cinco filhos de idades diferentes. O primeiro passo foi "descascar" a casa inteira para descobrir sua verdade estrutural. "Fizemos um procedimento quase arqueológico", se diverte Paulo.


Nessa jornada, na medida em que os tijolos antigos foram sendo expostos e o telhado reformado exibiu belos detalhes originais, descobriu-se também que, para remover as paredes internas e modernizar os cômodos clássicos do sobrado, seria necessária a construção de uma estrutura de concreto. Esta acabou virando uma espinha dorsal cheia de estilo para os interiores, imprimindo ares contemporâneos ao ambiente rústico.


"A casa só tinha uma viga de sustentação no meio da sala, o resto era alvenaria estrutural. Então criamos uma grande parede feita com sarrafos estreitos de concreto que, por uma questão estilística, ficou exposta. O mesmo foi feito nos fundos da casa", conta o arquiteto.
No hall de entrada, apenas um quadrado do piso original, de mármore, sobreviveu. O restante foi coberto com madeira de demolição. A sala de estar, agora integrada, ganhou várias soluções inesperadas, já que a reforma da propriedade foi feita com calma, quase artesanalmente.


Subindo pela escadaria de mármore com corrimão de ferro rendilhado, encontra-se a área íntima. A suíte máster nasceu da junção de três antigos dormitórios. Já os outros quartos permaneceram com perfume tradicional. "Optamos por fazer como antigamente e, em vez de criar várias suítes, preferimos um grande banheiro compartilhado", revela Paulo sobre os cômodos revestidos pelos vernaculares cacos de azulejo branco.


A decoração surgiu durante o retrofit, mesclando peças que o cantor já possuía – dentre as quais muitas eram do designer e arquiteto amigo – e outras feitas sob encomenda. A mesa Planalto, na sala de jantar, foi criada por Paulo especialmente para Nando Reis e acabou virando um produto de linha. O painel de madeira junto à cabeceira da cama do cantor, que oculta um closet, também foi um projeto customizado.

Pensamento para o dia




Isaías Capítulo 2


17 E a arrogância do homem será humilhada, e a sua altivez se abaterá, e só o SENHOR será exaltado naquele dia.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Vamos comemorar o 6º aniversário do TRIBARTE com poesia e muita arte!



“Cada criança é uma canção, 
cada criança é uma pequena senda, 
cada criança é um minúsculo caminho iluminado".

Poema Tupi-Guarani



Não acabarão nunca com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço o juramento:
Amo firme,
fiel
e verdadeiramente.

Vladimir Maiakovski in “Dedução”. 


Arte de Loui Jover


É o beija-flor
que beija a flor

ou é a flor
que beija o beija-flor?

José Paulo Paes


“Se quer saber minha opinião, nunca é tarde demais ou, cedo demais pra ser quem quiser ser. Não há limite de tempo. Comece quando você quiser. Você pode mudar ou ficar como está. Não há regras pra esse tipo de coisa. Podemos encarar a vida de forma positiva ou negativa. Espero que você encare de forma positiva. Espero que veja coisas que surpreendam você. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente. Espero que tenha uma vida na qual se orgulhe, e se você descobrir que não tem… espero que tenha forças pra conseguir começar novamente.”
*
*
(O curioso caso de Benjamim Button) 



"(…) é preciso partir
é preciso chegar
é preciso partir é preciso chegar… Ah, como esta vida é urgente!
… no entanto
eu gostava mesmo era de partir…
e - até hoje - quando acaso embarco
para alguma parte
acomodo-me no meu lugar
fecho os olhos e sonho:
viajar, viajar
mas para parte nenhuma…
viajar indefinidamente…
como uma nave espacial perdida entre as estrelas.”.

Mario Quintana.


A arte mais poderosa da vida é fazer da dor um talismã de cura. Uma borboleta renasce florescida, numa festa de cores.
E com as pinceladas a dor se desvanece junto ao ar.
Que poder a arte da vida tem… Só nos resta aprender.


Frida Kahlo

Celebre seus momentos ainda que sejam pequenos!









Celebro o nosso aniversário Aroldo
com muito amor e gratidão!
Beijos,
Aline Carla Rodrigues.

AS SETE COLUNAS QUE SUSTENTAM O FRACASSO




Provérbios 9.1,10 “A Sabedoria já edificou sua casa, Já lavrou suas sete colunas”

INTRODUÇÃO: Toda construção precisa de colunas. No mundo espiritual também há construções que precisam ser edificadas: um ministério não aparece do nada, é edificado passo por passo (o que você faz hoje repercute no seu amanhã, o que você sofre hoje pode ser consequência de uma atitude no passado). Uma carreira profissional também é edificada passo a passo, um casamento feliz idem. Uma relação familiar também. E assim por diante. Ao longo da infância, o ser humano vai desenvolvendo sua personalidade e seu caráter. Podemos comparar com a construção de um edifício estruturado sobre colunas que lhe dão sustentação. Se essas colunas são firmadas na virtude o edifício tende para um local de sucesso. Porém, se as colunas estão firmadas em caráter defeituoso, o edifício pode ficar muito bonito, mas sempre estará tendendo para o fracasso. Nesta mensagem o Senhor nos revela os tipos mais comuns de colunas usadas para construir fracassos. Vejamos:


INDIFERENÇA – a indiferença costuma se manifestar através da preguiça (Provérbios 26.14,15), do desinteresse (Provérbios 21.13, “O que tapa o ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido.” e do descaso (Provérbios 1.23-27) “Atentai para a minha repreensão; eis que derramarei copiosamente para vós outros o meu espírito e vos farei saber as minhas palavras. Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a mão, e não houve quem atendesse; antes, rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; também eu me rirei na vossa desventura, e, em vindo o vosso terror, eu zombarei, em vindo o vosso terror como a tempestade, em vindo a vossa perdição como o redemoinho, quando vos chegar o aperto e a angústia”.


INTOLERÂNCIA – a intolerância costuma se manifestar através de precipitação (Provérbios 29.20) – ”Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o insensato do que para ele.”; de vaidade (Provérbios 29.11,20; 14.3) – “Está na boca do insensato a vara para a sua própria soberba, mas os lábios do prudente o preservarão”, de ausência de misericórdia (Mateus 7.12).


IMPACIÊNCIA – a impaciência se manifesta através da pressa(Provérbios 21.5) – “Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza”, de falta de coragem para percorrer um caminho proposto (Eclesiastes 11.1).


INSATISFAÇÃO – a insatisfação se manifesta através da irritação(Provérbios 22.24,25), “Não te associes com o iracundo, nem andes com o homem colérico, para que não aprendas as suas veredas e, assim, enlaces a tua alma.” ou de murmuração (Judas 1.16) – “Os tais são murmuradores, são descontentes, andando segundo as suas paixões. A sua boca vive propalando grandes arrogâncias; são aduladores dos outros, por motivos interesseiros”.


INSUBMISSÃO – a insubmissão se manifesta através da teimosia(Provérbios 13.1) – “O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedor não atende à repreensão.”, ou de rebeldia (1 Samuel 15.23).


INSENSATEZ – a insensatez costuma se manifestar através da impiedade (Provérbios 8.7) – “Porque a minha boca proclamará a verdade; os meus lábios abominam a impiedade.”; o ímpio pode estar dentro da igreja – a impiedade se manifesta na falta de companheirismo no amor falso, na justiça tendenciosa e em outras atividades cotidianas. O ímpio gosta de reclamar de tudo e de todos. Só é bom quem faz as suas vontades; A insensatez também se manifesta através da imprudência (Provérbios 17.10) – “Mais fundo entra a repreensão no prudente do que cem açoites no insensato.”


INGRATIDÃO – a ingratidão costuma se manifestar através de mágoa(Mateus 5.9), de rancor (Provérbios 3.32; Romanos 12.19), ou da inveja (Provérbios 14.30; 30.15): esta é a coluna principal, se ela cai toda fortaleza cai. O ingrato não progride e não deixa os outros progredirem, está sempre atrás dos seus direitos e nunca cuida do direito dos outros. Gosta de usar as coisas dos outros, mas não gosta que usem das suas. Sua principal lei não é a Lei de Deus, mas sim a sua Lei.

CONCLUSÃO – Juízes 16.26,30 nos apresenta uma fortaleza (templo) deste tipo. Ali se reuniam milhares de inimigos cujo prazer era trazer tormento ao povo de Deus. No momento em que eles achavam que definitivamente Deus já estava derrotado diante deles, o homem de Deus decide investir o pouco de forças que lhe restara para fazer aquilo que já devia ter sido feito desde o início: destruir a fortaleza de Satanás. Isso aconteceu quando Sansão, mesmo cego em enfraquecido, clamou ao Senhor e teve suas forças renovadas para derrubar as colunas principais. Cabe a nós identificarmos as colunas que dão sustentação aos nossos fracassos e combatê-las até jogar por terra o templo do adversário.

Sejam edificados – Pr Andre

Hoje tem chuva de meteoros! Imperdível!


Pensamento para o dia



“O coração em paz dá vida ao corpo, 
mas a inveja apodrece os ossos.” 
(Pv 14.30 NVI) 

Certa vez, entrou em meu consultório um paciente que afirmava ter uma forte dor de dente em sua arcada superior. Disse que eu precisava extrair seu dente com urgência porque ele não suportava mais a dor. Imediatamente o sentei na cadeira e passei ao exame clínico. Imagine minha surpresa ao constatar que o paciente usava dentadura e que há muito tempo não tinha qualquer dente. Então, pensei que poderia ser algo intraósseo como um cisto ou um abscesso, coisas que o exame radiográfico descartou. Por fim, depois de algum tempo investigando aquele “mistério”, o paciente disse que a dor havia passado e foi embora. Até hoje não sei se ele quis zombar de mim ou se a dor era coisa apenas da sua cabeça.

Uma coisa é certa: Salomão conhecia já, em seus dias, efeitos psicossomáticos de problemas não ligados diretamente à medicina. Ele fala sobre um desses efeitos relatando a impressão de alguém que sente que se lhe “apodrecem os ossos”. Davi conhecia essa sensação, pelo que diz: “Enquanto escondi os meus pecados, o meu corpo definhava de tanto gemer. [...] Minha força foi se esgotando como em tempo de seca” (Sl 32.3,4b). A razão disso era seu pecado não confessado. Salomão atribui essa terrível sensação também a um pecado: “A inveja”. Segundo ele, o homem invejoso, que cobiça o que o outro tem, passa a viver em função disso e a se sentir abatido, como se a vida não tivesse sentido sem possuir o que ambiciona. Essa inveja é tão poderosa que não apenas abate seu intelecto e sua emoção, mas também ataca seu corpo.

Por outro lado, o rei sábio olha para outro tipo de gente que não se sente abatida. A diferença entre esses e os primeiros não é exatamente sua saúde, mas sua disposição interior. Esses não vivem atormentados pelas coisas que não possuem, mas experimentam a paz que vem do contentamento. Sobre eles é dito que “o coração em paz dá vida ao corpo”. Sua gratidão a Deus pelo que ele dá e pelo que ainda dará no futuro torna tais homens satisfeitos com o seu presente, sabendo que o Senhor conduz suas vidas da forma que melhor os edifica. Por isso, eles não são escravos da cobiça, nem do consumismo e muito menos da inveja. A paz em seus corações é tão grande que seus próprios corpos a experimentam. Basta, agora, a cada um de nós decidir que tipo de remédio queremos usar: o do médico, buscando remediar o sofrimento físico que nasce na cobiça e na insatisfação de cada um, ou o de Deus, na forma de uma paz que somente aqueles que já crerem em Cristo podem entender.

Pr. Thomas Tronco

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Pink? Pink Floyd!








Sensacional!

Caminhar num dia lindo é viajar através do agradecimento!







Não importa o jeito que você possui para caminhar,
muito menos as circunstâncias,
quando o que mais necessitamos é de amar a nós mesmos!
Pros(siga)!
Tente outra vez!
Beijos, Aline Carla Rodrigues.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...