SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

domingo, 27 de abril de 2014

Mistérios explicados pela arte por Mol-Tagge


Alguns mistérios do mundo podem ser explicados através de uma única palavra: arte. Arte pela arte. Arte como a primária expressão humana. Necessitamos da arte para libertarmos o sobrenatural em nós e necessitamos do sobrenatural para suportarmos a natureza de nossa humanidade.


Mistérios do mundo explicados pela arte
[Arte e Cultura]
Caso ocorra uma catástrofe em nosso mundo, o que dirão os homens dos anos 2300-2500, sobre os monumentos que hoje construímos e que, por um desses inexplicáveis acasos, sobreviverem à destruição? Eles, sem nenhuma noção do que fomos e aqueles monumentos incríveis, ostentando uma tecnologia que, certamente, sob a ótica dos “novos humanos” não seríamos capazes de possuir.

Os Moais
As 887 estátuas monumentais da Ilha de Páscoa, conhecidas como Moais, são consideradas um mistério. Mas quem chegar a Esbjerg [Dinamarca] será recebido por monumentos tão colossais quanto eles – quatro homens sentados em cadeiras, visíveis a 10 km da costa.
A obra foi criada por Svend Wiig Hansen, por ocasião do 100º aniversário do município, tornado independente em 1994.
Conceitualmente, a partir de suas estaturas e rigidez [como nos monumentos egípcios], a obra de arte representa o encontro dos homens puros, inocentes e de mãos limpas, com a natureza.

Moais – Ilha de Páscoa / Rapanui

O homem encontra o mar – Svend Wiig Hansen





Imagens do Google Earth
Logo após o lançamento do Google Earth a web foi invadida por imagens, no mínimo, curiosas. Certamente, grande parte delas são ilusões de ótica, outro tanto tem uma explicação lógica e outras ainda são obras pensadas e executadas por pessoas determinadas.
Esse é o caso da floresta em forma de guitarra criada pelo argentino Pedro Martin Ureta. São mais de 7 mil eucaliptos que compõem o corpo, braço e boca da guitarra, contornados por cipestres, e as cordas são formadas por eucaliptos azuis.
Embora se trate de uma verdadeira obra de arte, a floresta em forma de guitarra de Martin Ureta foi criada em homenagem à sua esposa Graciela, falecida aos 25 anos devido a um aneurisma cerebral.

Árvore Azul – Google Earth (Austrália)

Lábios na Terra – Google Earth (Darfur/Sudão)

Paz Mundial – Google Earth (Ontário/Canadá)

Floresta em forma de guitarra - Pedro Martin Ureta (Planaltos argentinos)



Disseminação de uma mesma ideia em vários lugares do mundo
Muito se questiona o fato de existirem pirâmides em várias partes do mundo, construídas no mesmo período em que os egípcios construíam as suas e algumas até muitos anos anteriores e ou posteriores. Considere-se que não havia comunicação entre regiões tão distantes.
Contudo, não tão raro quanto se imagina acontecer ideias idênticas em pessoas completamente diferentes e distantes espacial e temporalmente.

Gebel Barkal (Núbia/Sudão)

Kukulcán (Chichén Itzá/México)

Um dos principais monumentos da cidade de Sukuh (Java/Indonésia)
Na cidade mineira de Ouro Preto, no Sábado de Aleluia, acontece a confecção dos tapetes de serragem, de uma beleza indescritível, não só pela obra de arte que é realizada comunitariamente, mas, também, pela extensão da obra. O costume teve início em 1733.
Embora seja necessário considerar o acesso irrestrito à informações na atualidade, ideia extremamente similar teve o arquiteto e paisagista belga Etienne Stautemans que, criou, em 1971, no Grand-Place, o primeiro tapete de begônias de 77 x 24 m.

Tapete de serragem – Semana Santa (Ouro Preto/MG)

Tapete begônias – Homenagem à França (Bruxelas/2008)

Tapete begônias – Homenagem à África/Croqui (Bruxelas/2008)

Tapete begônias – Homenagem à África (Bruxelas/2008)
Considerações finais

Talvez os exemplos sejam singelos para a força das palavras – Mistérios explicados pela arte. Mas na singeleza dos exemplos, clareia como se tudo o que complicamos, teorizamos em excesso, não passe de raciocínios simplesmente humanos.



Fontes: Atlas Obscura, Site oficial Ouro Preto, Whenonearth [esculturas], Whenonearth [tapetes], Mol-Tagge

Remix urbano de arte e de sentimentos


Artista inaugura atelier/galeria em SP




Viver, trabalhar, expor, tudo no mesmo lugar. Essa é uma tendência que já é realidade nas maiores metrópoles do mundo e que, se depender do artista multiplataforma Loro Verz, passará a fazer parte também de São Paulo. “Andando pelo Brooklyn eu podia simplesmente tocar a campainha dos artistas e era convidado para entrar. Quero desmistificar o trabalho do artista e aproximá-lo do público”, conta.


É por isso que, no próximo dia 26 de abril, Loro inaugura o Estúdio Verz com sua nova exposição, Simetria do Complexo. Seguindo o mood de inovação, a mostra traz uma nova fase da carreira do artista, mais experimentalista, remixando referências à cidade de São Paulo. Como de costume, ele que já expôs em Londres, Nova York e Paris, segue explorando técnicas e mesclando colagem, pintura, ilustrações com instalações de madeira, neon e o que mais aparecer.

O espaço de criação de Loro estará aberto à visitação todos os sábados durante um mês. Para deixar tudo ainda mais interessante, ele ainda promete oferecer workshops inusitados, que introduzirão o público em um universo caleidoscópico cheio de cores, formas e comportamento urbano.

Loro Verz: Simetria do Complexo
Local: Galeria Verz
Endereço: Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 303. Bairro Pinheiros, São Paulo
Abertura e coquetel: Sábado, 26 de abril, das 19h às 22h
Data: de 26 de a bril a 26 de maio
Horário: das 10h às 19h

















Fonte: Casa Vogue

sexta-feira, 25 de abril de 2014

CHOVENDO ARTE


O mais antigo guarda-chuva já registrado na História foi há 3.400 anos. Guarda-chuva para uns, sombrinha para outros. Acessório para compor o estilo. Tão antigo, mas tão atual e necessário - nos dias de chuva, garoa ou sol - ele é também um objeto de valor e beleza na arte.


Vários tamanhos, várias cores, vários estilos: o guarda-chuva completa o look desde o mais tradicional ao mais exótico. Diz a história que o primeiro surgiu lá na Mesopotâmia, com o objetivo de proteger a cabeça dos reis contra o sol, já que a chuva era raridade naquele lugar. Esta armação de varetas móveis, coberta de pano, ou de tecido impermeável, carrega vários significados que vão desde a religião em algumas culturas, até um acessório de proteção e realeza em outras.


Do mais caro ao mais barato, o guarda-chuva é lembrado – mesmo - na hora da chuva. E chove, viu? Todos os dias há chuva para todos, tanto no sentido literal como no metafórico: chuvisco, garoa, chuva, tempestade. Tempestade natural ou emocional; não esquecendo, claro, da tempestade artística. De qualquer forma, é ele quem irá nos proteger das chuvas do dia a dia e, também, encher nossos olhos de grande e rara beleza.


E por onde a chuva – por vezes tempestade - artística já passou?

Em 1952, o guarda-chuva foi companheiro de Gene Kelly em uma cena clássica – e que marcou história no cinema – do filme Cantando na Chuva.


Os guarda-chuvas coloridos – durante em Festival de Arte - sombrearam as ruas áridas em Águeda, Portugal, e proporcionaram um ar de festa e alegria; além do visual maravilhoso.


E no carnaval, tem chuva? Tem , sim senhor! As ruas de Olinda ficam com uma cor e um movimento ainda mais intenso com os guarda-chuvas participando da grande folia.


Quanto às instalações, em 2010, como parte do festival de arte Witte de With, Luke Jerram – artista britânico – cobriu todo o canal de Rotterdam, na Holanda, com mais de 1.000 sombrinhas, as quais ficaram flutuando durante 3 dias. Para Jerram, os guarda-chuvas amarelos e laranjas – que despertaram a curiosidade de todos que por ali passavam - traziam em sua simbologia algo como um ramo de flores ou fogos de artifícios em plena noite de outono. Na retirada da exposição, os pedestres que passavam na mesma hora foram presenteados com os guarda-chuvas, os quais puderam ser vistos com frequência durante os dias de chuva nas ruas da cidade.


Um ipê-amarelo?! Visto de longe, lembra, e muito. Mas é uma instalação conhecida como Bloom, do artista Sam Spenser, que encanta quem passa e vê a decoração das imensas árvores nas ruas de Londres.


Na música, Rihanna teve o guarda-chuva como parceiro tanto na letra da canção como na coreografia; os fãs também ousaram e abusaram de tal companhia.


A obra Os Guarda-Chuvas, de Renoir, marca a transição de estilo impressionista para um novo, o qual o artista plástico francês carregava muitas dúvidas; no entanto, o corte de figuras nas margens da tela ainda mostra elementos do impressionismo. A arte retrata o vai e vem das pessoas sob seus guarda-chuvas num dia chuvoso na cidade; e os tons predominantes são os azuis, cinzentos e castanhos que se iluminam com cores brilhantes.

Mas a arte continua, em se falando de inovação nos guarda-chuvas para serem usados no dia a dia.


Que tal proteger, também, seu melhor amigo?!


Existe a possibilidade de estar acompanhado e continuar bem juntinho, mas não se molhar tanto assim.


Protegido da chuva e sem perder nenhum detalhe.


E se puder proteger um pouco além da cabeça? Você usaria?


Imagine-se na chuva, segurando o guarda-chuva e mais algumas outras - tantas - coisinhas. Então, se as mãos puderem ficar mais livres, melhor, não é?!


É ... há uma chuva de arte sem fim. Como disse Fabrício Carpinejar, “Quando a gente gosta, a gente começa emprestando um livro, depois um casaco, um guarda-chuva, até que somos mais emprestados do que devolvidos. Gostar é não devolver, é se endividar de lembranças."

Quantas histórias, quantas lembranças o guarda-chuva traz.




quarta-feira, 23 de abril de 2014

Retratos em família! XI Encontro dos primos com frases de Pablo Picasso! Salve abril de 2014!

 Obrigada meu Deus pela vida da minha família!
"Aquilo que sou é o que me faz viver!"
Amo vocês!
 "Nenhum sucesso compensa o fracasso de uma família!"



"Quando eu tinha 15 anos sabia desenhar como Rafael, 
mas precisei uma vida inteira para aprender a desenhar como as crianças."

(Pablo Picasso)



"Leva-se muito tempo para ser jovem."
(Pablo Picasso)


"Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol."
(Pablo Picasso)



"Não há, na arte, nem passado nem futuro. 
A arte que não estiver no presente jamais será arte."
(Pablo Picasso)

A arte de viver cada vez que demonstro amor pelo meu próximo!

 Família presente de Deus!


"A qualidade de um pintor depende da quantidade de passado que carrega consigo."
(Pablo Picasso)

A qualidade de uma família depende dos momentos vivenciados com qualidade por ela. A história de nossos antepassados é a consequência dos laços familiares que temos hoje, e a preservação dos mesmos depende exclusivamente de nós.


"Quando vier a inspiração, que me pegue trabalhando."
(Pablo Picasso)
Se possível trabalhando em família!



"A pintura não foi feita para enfeitar paredes.
 A pintura é uma arma, é a defesa contra o inimigo."
(Pablo Picasso)
Juntos somos mais fortes!


"Minha mãe me dizia: "Se queres ser um soldado, serás general. 
Se queres ser um monge, acabarás sendo Papa.
 Então eu quis ser um pintor e agora sou Picasso."

Meu filho se queres ser feliz temes a Deus, pois tudo passa!



"Um pintor é um homem que pinta o que vende. 
Um artista, por sua vez, é um homem que vende o que pinta."
(Pablo Picasso)



"Nunca conseguirás convencer um rato de que um gato traz boa sorte."
(Pablo Picasso)
Não quero convencer ninguém sobre a importância de uma família, porém não saberia viver sem ela.




"Quando dizem que sou demasiado velho pra fazer alguma coisa procuro fazê-la em seguida."
(Pablo Picasso)
Reverenciamos a todos que nunca deixaram de ter um pensamento cheio de vivacidade sobre a convivência humana.


"Quis ser pintor e tornei-me... Picasso"
Quisemos nossas famílias, 
por isso houve o XI Encontro dos Primos!


"Se sabemos exatamente o que vamos fazer, para quê fazê-lo?"
(Pablo Picasso)
Aldo Claussen, Léo, Lúcio e Anderson, mesmo sem saber se iria dar certo vocês nunca desistiram, agradeço em nome de todos familiares por tentarem sempre!
Muito obrigada!


"Se apenas houvesse uma única verdade, 
não poderiam pintar-se cem telas sobre o mesmo tema."
(Pablo Picasso)
Andressa sua beleza sempre será tema da maior tela do mundo,
a vida!

















"Pintar é libertar-se, e isso é o essencial."
Pablo Picasso

Pintamos nosso retrato em família nesse XI Encontro dos Primos na tela da Fazenda Macuco-Valão, e foi uma obra rara que ficará guardada na memória da liberdade em nossos corações.


Beijos, muitas saudades, Aline Carla Rodrigues.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...