SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

domingo, 29 de setembro de 2013

Vivendo cada dia como se fosse o último! Família meu maior patrimônio!

 É primavera, mas estamos curtindo um dia de muito frio em família!
 "Quero trazer a memória aquilo que me dá esperança!"
 "O amor é o calor que acende a alma!"
Amo vocês!
 "Aquilo que sou é o que me faz viver!"
 Juntos sempre somos mais fortes!
A alegria verdadeira emana de um coração feliz!
Saudades!
Beijos, Aline Carla Rodrigues.

sábado, 28 de setembro de 2013

DIEGO ARROYO: RETRATOS DO QUÊNIA


As imagens de Diego Arroyo lançam uma luz sobre o Quênia, seu propósito ilumina os conceitos criados por este país tão belo quanto seu povo. É possível identificar algo invisível aos olhos, uma magia nos olhares simples, no sorriso tímido e na beleza cultural.

Diretor de arte e fotógrafo, Diego Arroyo viaja pelo mundo em busca da essência dos povos. Na região onde vivem os Samburus, no Quênia, seus retratos mostram além da miséria captando intimamente a beleza da região.

Existe uma história por trás dos olhos, é neste ponto que tocamos o invisível. O Quênia apresentado ao mundo não reflete nos olhos de Arroyo, não existe uma tendência em registrar o óbvio. De maneira sutil e especial conseguimos conhecer esse lugar que parece ser mais incrível do que se pode imaginar.



E mesmo quando observamos algo que já nos parece comum, como os animais, no Quênia eles são diferentes. Nesse espaço o que parece realmente predominar é o invisível, e por tanto, nem todos vão conseguir enxergar. Diego Arroyo e eu conseguimos, agora é a sua vez.





Fonte: Obvious

Pensamento do dia



“Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas. As muitas águas não podem apagar este amor, nem os rios afogá-lo; ainda que alguém desse todos os bens de sua casa pelo amor, certamente o desprezariam.”

Cantares 8:6,7

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

FREE BIRD

 "EU POSSO VOAR!"











Amar por Martha Medeiros


"Não consigo imaginar nada mais satisfatório do que amar, e mesmo não sabendo o que o amor significa, sei o que representa. É o que nos faz, no meio de uma multidão, destacar alguém que se torna essencial para nosso bem - estar, e o nosso para ele. É receber uma atenção exclusiva e ofertá-la na mesma medida. Ter uma intimidade milagrosa com a alma de alguém, com o corpo de alguém, e abrir-se para essa mesma pessoa de um jeito que não se conseguiria jamais abrir para si mesmo, porque só o outro é que tem a chave desse cofre."
Martha Medeiros

11 ideias para mudar a parede da sua casa


Abaixo o lugar-comum na decoração!

Tinta, papel, tecido, mosaico de vidro - tendo esses materiais como aliados, profissionais do décor colorem os ambientes de forma original, elegante e despojada. Veja, abaixo, uma seleção especial com ideias para lá de modernas!


SEM MODERAÇÃO
Por Fábio Galeazzo

Um traço comum aos ambientes assinados pelo designer de interiores Fábio Galeazzo é o cromatismo intenso. “Gosto de adotar referências multicoloridas e contrastá-las com tonalidades terrosas e texturas naturais”, diz. Na sala de jantar deste apartamento em São Paulo, Galeazzo apostou mais uma vez nessa combinação. O papel de parede desenhado por ele e produzido pela Tergoprint sobressai diante da mesa Concorde e das cadeiras Grace, da Poliform, na Casual Interiores. As fotos nos cavaletes são do Gabinete D.


AMPLITUDE VISUAL
Por Dana Frigerio

Foi depois de uma visita ao Hotel Carlton em St. Moritz, na Suíça, que a paisagista italiana Dana Frigerio apaixonou-se por listras verticais. “Adorei o efeito óptico obtido nos corredores do hotel, onde faixas desse tipo cobrem até os móveis”, revela. Ao voltar para sua casa, em Blevio, às margens do Lago de Como, Dana decidiu reproduzir o padrão na parede do seu quarto, onde o grafismo ajudou também a dar mais amplitude ao ambiente. “A inspiração pode estar em qualquer lugar. A ideia de combinar azul e rosa, por exemplo, veio de um vestido de Vivienne Westwood que vi em um desfile de moda”, comenta.



VERMELHO TROPICAL
Por Chicô Gouvêa

A decoração deste apartamento no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro, foi pensada de modo a valorizar o gosto dos proprietários por obras de arte. Para as paredes da sala de jantar, buscou-se uma tonalidade quente, capaz de realçar a presença da expressiva tela de Di Cavalcanti ali exposta. Após muitas pesquisas, a escolha do arquiteto Chicô Gouvêa recaiu sobre a tinta acrílica Lugar de Festa, da Coral, com acabamento fosco. Também compõem a decoração uma mesa que leva perfis metálicos e tampo de vidro, desenhada pelo próprio Chicô, e luminárias Krisalide, de Andrea Cerretelli e Fabiana de Andrade, da La Lampe.



PURA SOFISTICAÇÃO
Por Intarya

Seda pura pintada à mão com detalhes bordados é o material que veste as paredes desta sala de jantar em Londres. O ambiente foi concebido para uma família que buscava um espaço onde pudesse realizar jantares e coquetéis formais. A estampa do tecido, desenvolvida pelo designer brasileiro Daniel Kostiuc, do escritório Intarya (sediado na capital inglesa e em fase de abertura de sua filial paulistana), em parceria com a Fromental, inspira-se na arquitetura do edifício, construído no século 19. “O objetivo foi criar um ambiente que combinasse elementos históricos com acabamentos contemporâneos”, aponta Kostiuc. Destaque também para o chandelier da Bisazza, o espelho da Baroncelli e a mesa de jantar da Intarya Bespoke.



COMO UMA ONDA
Por Paula Neder

A calçada central da avenida Atlântica, no Rio de Janeiro, desenhada pelo paisagista Roberto Burle Marx, serviu de inspiração para a arquiteta Paula Neder projetar este vibrante mosaico geométrico. A parede, que mistura tons de azul, verde e amarelo, além do branco, é parte do banheiro de hóspedes de um apartamento em frente à praia de Copacabana. Paula conta que o local pertence a um executivo francês apaixonado pelo Rio. Daí a pertinência de se criar um ambiente descontraído e surpreendente, que fizesse referência à icônica cidade. Os mosaicos de vidro são da Vidrotil, e as louças e os metais, da Deca.



TEXTURA QUENTE
Por Denise Monteiro

Tecido foi a escolha da arquiteta Denise Monteiro para aquecer o décor deste apartamento no bairro paulistano do Morumbi. “Optei por um modelo de viscose com relevos para dar um toque vintage a este ambiente contemporâneo”, diz ela. A estampa escolhida (Aroeira Sol), da Regatta Tecidos, também adiciona movimento ao cômodo onde predominam peças atemporais, como a lounge chair de Charles & Ray Eames (1956), a luminária da Regatta Home e a mesa lateral da Artefacto. O piso é de mármore perlino bianco.



TRADIÇÃO ANDALUZA
Por Jaime Parladé

O estilo rústico que caracteriza as construções da Andaluzia, no sul da Espanha, norteou a ambientação eleita para o banheiro desta residência em Carmona, cidade localizada naquela região. O designer Jaime Parladé, que vive em Málaga, dividiu as paredes horizontalmente em três faixas, tingidas com cimento pigmentado. O piso recebeu ladrilhos hidráulicos com estampa geométrica – em preto, cinza e branco, as peças promovem um interessante contraste com o verde e o vermelho.



PERSONALIDADE MARCANTE
Por Marina Linhares

Às vezes, um elemento preexistente acaba induzindo as escolhas da decoração. Foi o que aconteceu no banheiro desta suíte em São Paulo. “A cuba de mármore verde alpi pedia um revestimento com personalidade”, revela a arquiteta Marina Linhares. No caso, a escolha foi um papel de parede da Sandberg, fornecido pela Wallpaper, inspirado nos painéis de tapeçaria francesa do século 18, com motivos botânicos. Piso de mármore da Mont Blanc, torneira da Louvre e espelho da IV Centenário.



EQUILÍBRIO GEOMÉTRICO
Por Maximiliano Crovato

Para o espaço atrás da cama deste quarto, o designer de interiores Maximiliano Crovato buscava algo impactante e, ao mesmo tempo, harmonioso em relação ao resto do ambiente. Objetivo alcançado com o papel de parede da Celina Dias. “As cores que compõem a estampa estão representadas em outros locais da suíte. O verde-claro pinta as demais paredes, o café com leite e o chocolate estão na roupa de cama da Trousseau e o turquesa se faz presente na cúpula da luminária sobre a mesa de cabeceira”, destaca Crovato. A iluminação, obtida com as arandelas da Dominici e o abajur da Lumini, valoriza a estampa.



LUXO ATEMPORAL
Por João Mansur

As andanças do arquiteto João Mansur pelo mundo inspiraram o décor deste lavabo, situado numa casa paulistana. “Seu visual clássico tem um quê de parisiense”, diz ele. O dourado das paredes vem da pintura especial feita com folhas de ouro pela dupla Adriana Pedrosa e Carlota Gasparian. “Quanto mais o tempo passa, melhor o resultado. O revestimento vai mudando de cor e ganhando um lindo aspecto envelhecido”, conta João, que equilibrou o tom marcante com bancada e piso de mármore branco. Como o espaço é pequeno, o profissional valeu-se de um truque para ampliá-lo visualmente: espelhos cobrem toda a parede atrás da pia, inclusive rente ao chão.



PATCHWORK DE ESTAMPAS
Por Luciana Tomas

A cor foi utilizada neste apartamento em São Paulo com um propósito bem específico: criar uma atmosfera despojada, condizente com o perfil dos moradores, um jovem casal à espera de seu primeiro filho. A arquiteta Luciana Tomas conta que o projeto possui uma base branca, para que outras tonalidades possam ser empregadas no mobiliário e em alguns revestimentos. Assim ocorreu na copa, onde a mesa da Cinex e o pendente da Yamamura ganharam a companhia de um patchwork de azulejos da Pavão Revestimentos. Outra pincelada de cor vem do azul das cadeiras.
Fonte: Casa Vogue

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Frisson



Meu coração pulou
Você chegou, me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: que bom...
Parece, enfim acordei
Pra renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim sem me avisar
Pra acelerar...
Um coração que já bate pouco
De tanto procurar por outro
Anda cansado
Mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais

Você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal
Me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual
De repente...
Você surgiu na minha frente
Luz cintilante
Estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
Você me conquistou

Me olha, me toca, me faz sentir
Que é hora, agora, da gente ir


Cores, marketing e… psicologia?



Já ouviu falar sobre a influência das cores nas nossas vidas?! E se eu te contar que elas também influenciam - e muito - no marketing? O blogueiro Henrique Carvalho, do site "Viver de Blog", fez um infográfico demonstrando as relações entre marketing, publicidade, psicologia e cores! Nessa matéria você vai, além de entender o infográfico, se sentir pelo menos um pouquinho convencido a respeito das relações das cores nas nossas vidas.



Poderosas. É essa a definição que alguns estudiosos estão dando para as cores, já que, segundo eles, são elas as grandes influenciadoras para as escolhas e sentimentos humanos. Comprovar isso é fácil (e não exige uma pesquisa científica de Harvard, por exemplo). É só usar métodos empíricos: se você tem medo de dentista, quando ver uma parede “verde menta” provavelmente sentirá calafrios. A lógica é simples… Seu cérebro “associou” a cor ao profissional que utiliza aqueles temidos aparelhos que te obrigam a ficar de boca aberta e a ouvir um barulhinho bem incômodo (cc: brocas e afins).
A mesma ideia se aplica ao uso do vermelho e amarelo nas paredes e/ou logo-marcas de restaurantes. Segundo alguns estudos, as cores “quentes” podem provocar – ou simplesmente atiçar – a fome! Enquanto isso, esses mesmos estudos afirmam que as cores “frias” podem gerar uma sensação de tranquilidade e podem até adquirir poderes curativos.

Foi seguindo essas conclusões científicas que a publicidade passou a incorporar elementos psicológicos na hora de produzir uma peça publicitária ou ao criar um estilo para determinada marca. E também foi nesse ritmo que o blogueiro Henrique Carvalho, idealizador do site “viver de blog”, criou alguns infográficos que explicam muito bem a relação das cores com a publicidade, o marketing e a psicologia.
À primeira vista parecem três conceitos muito distantes, mas o fato é que, quando bem utilizados, eles fazem uma marca, por exemplo, ir a frente de outra por detalhes que passariam despercebidos se não fosse a composição das três áreas.

De acordo com Henrique, 84,7% dos consumidores acreditam que as cores de um produto são muito mais importantes do que outros fatores; 93% das pessoas avaliam as cores de um produto na hora de comprar e mais da metade dos consumidores desistem de comprar um produto porque ele não tem sua cor favorita.

Exagero? Negativo! A comprovação se encontra no seguinte infográfico criado pelo blogueiro:



Gostou?! Como o próprio infográfico coloca ao final “tenha essas informações em mente ao escolher a paleta de cores primárias da sua marca”. Quer mais uma dica? Não deixe de contratar um profissional da área e deixar de lado o serviço daquele primo que diz saber mexer com photoshop… Invista no trabalho de um publicitário ou profissional da área do marketing em si, pois são eles quem têm capacidade plena para criar e recriar alguma coisa utilizando esses conceitos básicos que foram colocados no infográfico.
Fonte: Obvious.

"Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde", por Martha Medeiros





Acho a maior graça. Tomate previne isso,cebola previne aquilo, chocolate faz bem, chocolate faz mal, um cálice diário de vinho não tem problema, qualquer gole de álcool é nocivo, tome água em abundância, mas não exagere...

Diante desta profusão de descobertas, acho mais seguro não mudar de hábitos.

Sei direitinho o que faz bem e o que faz mal pra minha saúde.

Prazer faz muito bem.
Dormir me deixa 0 km.
Ler um bom livro faz-me sentir novo em folha.
Viajar me deixa tenso antes de embarcar, mas depois rejuvenesço uns cinco anos.
Viagens aéreas não me incham as pernas; incham-me o cérebro, volto cheio de idéias.
Brigar me provoca arritmia cardíaca.
Ver pessoas tendo acessos de estupidez me
embrulha o estômago.
Testemunhar gente jogando lata de cerveja pela janela do carro me faz perder toda a fé no ser humano.
E telejornais... os médicos deveriam proibir - como doem!
Caminhar faz bem, dançar faz bem, ficar em silêncio quando uma discussão está pegando fogo,
faz muito bem! Você exercita o autocontrole e ainda acorda no outro dia sem se sentir arrependido de nada.
Acordar de manhã arrependido do que disse ou do que fez ontem à noite é prejudicial à saúde!
E passar o resto do dia sem coragem para pedir
desculpas, pior ainda!
Não pedir perdão pelas nossas mancadas dá câncer, não há tomate ou mussarela que previna.
Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau!
Cinema é melhor pra saúde do que pipoca!
Conversa é melhor do que piada.
Exercício é melhor do que cirurgia.
Humor é melhor do que rancor.
Amigos são melhores do que gente influente.
Economia é melhor do que dívida.
Pergunta é melhor do que dúvida.
Sonhar é melhor do que nada!

Martha Medeiros

Foto de Domingos Souza

Pensamento para o dia





"Desperta-te, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, 
e Cristo te esclarecerá". 
Efésios 5:14

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Dentro de um abraço, Trecho de Feliz por Nada, de Martha Medeiros



Dentro de um abraço

Onde é que você gostaria de estar agora, nesse exato momento?

Fico pensando nos lugares paradisíacos onde já estive, e que não me custaria nada reprisar: num determinado restaurante de uma ilha grega, em diversas praias do Brasil e do mundo, na casa de bons amigos, em algum vilarejo europeu, numa estrada bela e vazia, no meio de um show espetacular, numa sala de cinema assistindo à estreia de um filme muito esperado e, principalmente, no meu quarto e na minha cama, que nenhum hotel cinco estrelas consegue superar – a intimidade da gente é irreproduzível.

Posso também listar os lugares onde não gostaria de estar: num leito de hospital, numa fila de banco, numa reunião de condomínio, presa num elevador, em meio a um trânsito congestionado, numa cadeira de dentista.

E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?

Meu palpite: dentro de um abraço.

Que lugar melhor para uma criança, para um idoso, para uma mulher apaixonada, para um adolescente com medo, para um doente, para alguém solitário? Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.

Que lugar melhor para um recém-nascido, para um recém-chegado, para um recém-demitido, para um recém-contratado? Dentro de um abraço nenhuma situação é incerta, o futuro não amedronta, estacionamos confortavelmente em meio ao paraíso.

O rosto contra o peito de quem te abraça, as batidas do coração dele e as suas, o silêncio que sempre se faz durante esse envolvimento físico: nada há para se reivindicar ou agradecer, dentro de um abraço voz nenhuma se faz necessária, está tudo dito.

Que lugar no mundo é melhor para se estar? Na frente de uma lareira com um livro estupendo, em meio a um estádio lotado vendo seu time golear, num almoço em família onde todos estão se divertindo, num final de tarde à beiramar, deitado num parque olhando para o céu, na cama com a pessoa que você mais ama?

Difícil bater essa última alternativa, mas onde começa o amor, senão dentro do primeiro abraço? Alguns o consideram como algo sufocante, querem logo se desvencilhar dele. Até entendo que há momentos em que é preciso estar fora de alcance, livre de qualquer tentáculo. Esse desejo de se manter solto é legítimo, mas hoje me permita não endossar manifestações de alforria. Entrando na dos namorados, recomendo fazer reserva num local aconchegante e naturalmente aquecido: dentro de um abraço que te baste.

Sensibilidade sem tamanho por Martha Medeiros!




Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande, é a sua sensibilidade sem tamanho.

Martha Medeiros

Faça o que for necessário para ser feliz!





Faça o que for necessário para ser feliz. 
Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade.

Martha Medeiros

Rodear-se de afrescos do século XVI


Quando em Veneza é preciso respirar arte



Se a última chamada para conferir o melhor da arte contemporânea internacional é agora - a 55ª Bienal de Arte de Veneza está no final -, o burburinho na romântica cidade italiana será mais duradouro se o assunto for o Aman Canal Grande Venice. Parte do exclusivíssimo grupo Amanresorts e primeiro empreendimento da rede na Europa, o hotel tem 24 suítes, que ocupam um histórico palazzo em San Polo, o menor dos seis distritos de Veneza.

Diante do Grande Canal, o Palazzo Papadopoli foi erguido no século 16 pelo arquiteto Gian Giacomo de’ Grigi para a família Coccina, de Bérgamo. Em 1718 o prédio passou às mãos dos Tiepolo, que decoraram os salões com afrescos de Giovanni Battista Tiepolo. Seu nome, porém, se deve aos irmãos Nicolò e Angelo Papadopoli Aldobrandini, que, no início do século 19, adquiriram a propriedade e encomendaram a decoração do piano nobile – a área do living principal – a Michelangelo Guggenheim, grande expoente dos estilos neorrenascentista e rococó.

Na entrada, o hall de pé-direito alto exibe bustos de mármore da família Papadopoli (ainda proprietária do palazzo) e uma luminária presenteada ao comandante Coccina em 1571, depois da batalha vitoriosa de Lepanto contra o império otomano. Entre os elementos históricos, porém, também há móveis contemporâneos de linhas limpas – na sua maioria da B&B Italia –, que garantem o diálogo entre presente e passado.


“Os palácios eram casas de comerciantes ricos e na maioria das vezes têm uma decoração original dramática e intimidadora demais para os padrões de hoje. Com o mobiliário delicado e de cores quentes, queríamos dar uma sensação de aconchego e equilíbrio sem desrespeitar a arquitetura original”, explica David Schoonbroodt, arquiteto e designer responsável pelo projeto de restauro (que durou 18 meses) e pela decoração do hotel.

Uma escadaria criada em 1874 por Girolamo Levi conduz ao restaurante de cozinhas italiana e asiática do piano nobile, dividido em três ambientes. A sala principal, antigo salão de festas, é a pièce de résistance de Guggenheim: com grandes janelas que têm vista para o Grande Canal, é decorada com estuques, espelhos e lustres originais do estilo rococó. A biblioteca neobarroca tem paredes revestidas de couro da cidade espanhola de Córdoba, enquanto a sala de jogos preserva os afrescos de Tiepolo.

A exuberância e o luxo não param nas áreas comuns. A suíte Maddalena, por exemplo, ostenta afrescos e sedas, a Sansovino tem uma lareira criada por Jacopo d’Antonio Sansovino, um dos arquitetos mais famosos da Veneza do início do século 16, e a Alcova Tiepolo abriga uma sala de estar com pinturas chinesas e teto ornamentado pelo artista que dá nome ao quarto. Para aproveitar o pôr do sol, o terraço é um must para bebericar um drinque e admirar a visão estonteante dos telhados de Veneza.

Aman Canal Grande Venice – Calle Tiepolo
1.364, Veneza, www.amanresorts.com
Diárias a partir de € 1.000













































Fonte/ Casa Vogue

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...