SEJA BEM-VINDO!

A ARTE RENOVA O OLHAR!

quarta-feira, 11 de maio de 2011

EDWARD LEAR

Lear foi desenhista em um zoológico, viajante, artista, escritor. 
Deprimido, epiléptico, solitário. Em 1845 escreveu e ilustrou A Book of Nonsense. Tudo nesse livro é delicioso. Os limeriques e os desenhos.
Capaz de esquecer sua destreza e optar por um gesto fluído e solto como o de uma criança, Lear nos dá, no século XIX, uma lição de modernidade.






Edward Lear (Highgate12 de Maio de 1812 — San Remo29 de Janeiro de 1888) foi um pintor e escritor inglês.
Em 1831 começou a trabalhar como ilustrador para a Zoological Society of London e depois para o Museu Britânico. Em 1835 passou a pintar também paisagens de modo minucioso. Publicou sete livros de viagens (pela ItáliaGréciaEgito e Índia) com ilustrações suas e três livros com desenhos de animais. Também pintava a óleo, mostrando influência do pré-rafaelismo.
Em 1846 deu lições de desenho à Rainha Vitória e escreveu seu primeiro Book of Nonsense, iniciando sua carreira literária na qual viria a se distinguir por desenvolver uma forma original de poemas de humor e absurdo e também por divulgar o limerick (poema de cinco versos com umarima no primeiro, segundo e quinto e outra no terceiro e no quarto).
Publicou três livros de poemas nonsense ilustrados com figuras fantásticas e nos quais seu gênio se manifesta plenamente: Nonsense Songs, Stories, Botany and Alphabets (1871), More Nonsense Pictures, Rhymes, Botany etc (1872) e Laughable Lyrics (1877).
Fonte: Wikipédia
Edward Lear and Nonsense

Edward Lear (1812-88), an accomplished ornithological draftsman, wrote and illustrated several journals during his European travels, and for a while acted as Queen Victoria's drawing master at Osborne House.  But his real fame and fortune came from A Book of Nonsense (1846) when he was thirty-four.  In the first edition Lear was identified in a limerick on the cover as "Derry down Derry - who loved to see little folks merry."   The public did not know who the author was until his name appeared on the title page of the 1861 enlarged edition.  Even then, some had their doubts (see below).  Lear lived to see thirty more editions printed before he died.  Around 1870 a rare edition appeared with all 113 illustrations (done by lithography) in color.  The year in which A Book of Nonsense appeared, 1846, also saw the publication of Mary Howitt's translation of Andersen's fairy tales, Wonderful Stories for Children.  Through these two books nonsense and fantasy for children began to gain an honorable estate.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...